quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Fiasco em terras muçulmanas

                      


                                           



 Robert Muteba Kidiaba, é o cara!


sexta-feira, 12 de novembro de 2010

E não é que aconteceu?

E o Tiririca foi eleito.

Vida longa à Vossa Excelencia!!!!!!!!!!


Até porque, político é o reflexo do povo que o elege.

Segue já a Campanha - Silvio Santos: Presidente 2015! Eu acredito!

Caso o PanAmericano não for a falência, é claro.





Entre Jeans, Burcas e Kimonos...

O mundo mais uma vez rememorou o episódio, entre tantos que nos enchem as telas da televisão quase todos os dias, do atentado as Torres do WTC em Nova Iorque em 2001. Entre todas as notícias que li e ouvi, a que mais me chamou a atenção foi uma que dizia: "O maior atentado da história da Humanidade"...

Esta frase soou no meu ouvido como algo extremamente agressivo. Agressivo, porque nela incluia toda uma história mascarada e "apagada". Quem foi que disse que este atentado foi o maior da história da humanidade? Na visão de quem? Na minha humilde opinião 11 de setembro de 2001 não é e nunca foi o maior. Pode ter sido, talvez, o mais comentado, mas não o maior. Até porque ocorrido em terras dos EUA é, sem dúvida nenhuma, na visão deles, o maior. Todavia, o maior, ou um dos maiores atentados da humanidade, não seria o atentado que estes próprios estadunidenses fizeram há um pouco mais de meio século na "Terra do Sol nascente", matando mais de 100 mil pessoas em um raio de segundos, sem nem mesmo ter piedade de crianças, em Hiroshima e Nagasaki?

 Quem são os bárbados, assassinos, ou, demagogos?

A "Terra do Tio Sam" costuma encontrar culpados para tudo, arabes, judeus, cubanos...Eles, porém, são, se houvesse uma lista negra feita por outros países, os grandes vilões da humanidade nas ultimas décadas. Todavia, é bom ressaltar que não sou contra os EUA, e o Made in USA, mas a prepotência deste povo ( leia-se governantes que são apoiados e votados pela população) me convence a cada dia a pensar o tanto os Estados Unidos da América, que se auto intitulam "Americanos", como se somente eles fossem americanos são prepotentes e demagogos ao impor sanções e maneiras de dirigir o mundo, mostrando quem são os "bons" e os "maus".

Se os japoneses eram na Segunda Guerra Mundial os "vilões" por terem bombardiado Pearl Harbor matando inocentes soldados do EUA, hoje, os arabes fazem a vez de "malditos" e devem ser aniquilados.

O mundo cada vez se mostra mais cruel diante dos nossos olhos, graças a tecnologia da informação instantânea. Liga-se a televisão, vê-se bomba explodiando em Israel, matando inocentes, troca-se de canal, nos deparamos com guerra ao narcotráfico.  E os "Mocinhos " e "Bandidos" são sempre pintados da mesma forma, algo para iludir e ludibriar a nós mesmos. A globalização nos mostra um mundo de extremos: "bons" e "maus". E a bola da vez são os arabes, suicidas e fanáticos. Sim, arabes, entram em escolas e matam professores e colegas. Matam milhares e gastam bilhões em armamento bélico, ao invés de investir em seu território.

No mesmo mês do aniversário trágico do WTC, chegou-se a notícia de que um pastor, chamado Terry Jones,  teve uma excelente ideia: queimar o Alcorão! Que beleza, não? Dizendo que o livro era uma manual de contrução de terroristas e diabólico. Este é apenas um exemplo da ignorância que ronda o ocidente frente ao oriente. Rotular japoneses, arabes, latinos é a mesma coisa que distanciar o mundo de si próprio e construir trincheiras entre a humanidade.

Aliás, senhores arábes, acho melhor vocês tirarem suas fortunas investidas em solo "Americano". Talvez nossos hermanos "Greens" possam rever seus conceitos com o resto do planeta. Já que seu Império está a beira de um colapso.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

As indagações de Quintana


A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Feliz Aniversário, Tricolor!!!!

“Grêmio 107 anos” de:

Conquistas;

Alegrias;
Amor;

Garra;

Luta;

Desafios...

No teu aniversário, nada melhor que do dizer:




Contigo, onde você estiver, Parabéns Tricolor!!!!!!!!!!



domingo, 5 de setembro de 2010


"A gente todos os dias arruma os cabelos: por que não o coração?"
 


Provérbio Chinês

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Eleições 2010 ou tapete para "celebridades"?



Recebi um email um tanto que importante e ao mesmo tempo bizarro esta semana. Se tratava das "celebridades" que estão, neste ano, concorrendo a cargos de deputados estaduais, federais e senadores por alguns dos mais importantes Estados do Brasil. Nomes como Tiririca ( "Florentina, Florentina..."), Fabiano ( do Internacional, só os torcedores do Inter conhecem ele mesmo... ), e duas das três siglas do trio "falca Bee Gees Tupiniquim": KLB ( Mais exatamente o K e o L) e duas das frutas do vasto mercado porno...opa, funk ou sei lá o quê.

O Brasil é, realmente, um país democrático. Viva a democracia!

A política que outrora era algo sério, só pra "doto", virou palco para que personagens do povão mostrem seus dotes artísticos no Plenário! Até porque é mais fácil votar em quem tu compra um cd pirata do que um "Senhô Adevogado" engravatado, que só aparece na tv no noticiário político e com dinheiro nas meias. É mais fácil votar em quem aparece na Tititi do que na Veja.

Já elegemos Tulio - jogador do Botafogo...- O Caozinho dos Teclados e espancador de mulher, Frank Aguiar e o Porreta Agnaldo Timóteo.


Este ano quem dará o ar da graça no horário eleitoral:

Acelino Popó Freitas (PRB-BA) - deputado estadual
Maguila (PTN-SP) - deputado federal
Marcelinho Carioca (PSB-SP) - deputado federal
Romário (PSB-RJ) -
deputado federal
Vampeta (PTB-SP) - deputado federal
Fabiano (PMDB-RS) - deputado estadual
Danrlei (PTB-RS) - deputado federal

Ronaldo Esper (PTC-SP) -  deputado federal
Dedé Santana (PSC-PR) - deputado estadual
Tiririca (PR-SP) - deputado estadual
Kiko (DEM-SP) - deputado federal
Leandro (DEM-SP) - deputado estadual
Netinho (PCdoB-SP) - senador
Reginaldo Rossi (PDT-PE) - deputado estadual
Renner (PP-GO) - Senador
Sérgio Reis (PR-MG) - deputado federal
Mulher Melão (PHS-RJ) - Cristina Célia Antunes Batista - deputada federal
Mulher Pera (PTN-SP) - Suellen Aline Mendes Silva - deputada federal

Nesta eleição, então, teremos de funkeira e boxeadores. De cantores a jogadores de futebol. E não será difícil vê-los eleitos por nós, brasileiros. Se não sabemos a história de vida de nossos políticos que estão hoje governando o Brasil, estes candidatos parecem ser tão familiares, já que invadem nossos lindos domingos em programas familiares do Gugu e Faustão. Até porque quem de nós não vê programa de fofoca? Quem não lembra do Renner, da dupla, Rick e Renner atropelar e matar um cidadão há alguns anos atrás? Ronaldo Esper "pegar de presente" vasos de túmulos em um cemitério em São Paulo? Dedé Santana encantando nossas crianças nos Trapalhões? Vampeta posando nu? 

Já imagino Maguila discursando com seu português quase erudito...Mulher Melão e Pera mostrando seus dotes políticos...O K e o L votando emendas...E o Tiririca? Mazaaaa....Já dá pra ver o Netinho e o Simon batendo bota no Senado, né?!

O mais interessante em tudo isso, é que todas as propagandas eleitorais dizem para o brasileiro votar consciente. Até parecem que nos tiram pra burros, não? Não consigo entender isso...Até porque não consigo ver muita diferença entre Tati Quebra Barraco e Marta Suplicy ou Netinho e Maluf no que diz respeito a entendimento dos problemas do país. Talvez a grande diferença é que alguns viveram na pele a pobreza, o preconceito e outros só decoram textos sobre tais assuntos.

O mais chocante em tudo isso é ver que o grande culpado deste circo somos nós mesmos, os eleitores. Um voto em algum destes candidatos pode ser um voto de confiança ou de protesto contra a palhaçada que é a política no Brasil. Se alguns trabalham/trabalharão sério até pode ser. Mas a maioria é um parasita vivendo as custas de 190 milhões de cidadões que trabalham para a máquina funcionar. Os governantes são o reflexo do povo que os elegeram.

Quando será que isso acabará...não sei...Talvez quando o Silvio Santos virar presidente.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Grêmio, nada pode ser maior

   A falsificação está em todo lugar. Marcas de perfume, dvd's, tênis e também, camisetas de times de futebol. É claro, que não é apenas uma imitação de um time qualquer. Se trata de algumas imitações ao redor do mundo do uniforme de um dos grandes times do Brasil, ou pra mim, o melhor e maior time do Brasil: Grêmio.

    No Japão há uma cópia do tricolor gaúcho fundada em 1995, ano da final contra o Ajax da Holanda em Tóquio. Os japas gostaram tanto do time gaúcho que resolveram fundar um time inspirado no Grêmio. No início, além da camiseta, o distintivo era igual, no final dos anos 90 foi redesenhado. Na Europa, mais exatamente na  Suíça, há uma imitação do manto sagrado do Grêmio. Assim como nos Estados Unidos e na Argentina. Em terras tupiniquins há exemplos como o  Jaciara e o Montes Claros.

   Não sei se existe alguma explicação para tanta imitação. Será que Valentino, Oscar de la Renta, Gucci, poderiam dar algum palpite?


  
   A camiseta com listras azuis, brancas e pretas verticais, uma vez já considerada a mais bonita do planeta é um ícone. Não apenas por ser imitada, mas pelo peso de sua história. Aliás, quem diria de um time de uma província tão distante no sul da América conquistaria o mundo como conquistou...





terça-feira, 27 de julho de 2010

25 de julho de 2010.


     Domingo chovia e fazia frio em Porto Alegre. Algo que nós, Porto Alegrenses, já estamos acostumados. Entretanto, não era mais um domingo de chuva e frio. Dia 25 de julho de 2010 significou muito pra mim, foi uma noite inesquecível. Tudo isso por um simples motivo: fui ao show do Jorge Drexler! Não apenas um show. Foi " O Show". Com direito a banda e tudo!

     Drexler está cada vez melhor. Em presença de palco, sonoridade, letras. "Amar la trama" realmente, é um marco, divisor de aguas de duas distintas fases da vida do cantautor. Ele saiu de uma melancolia para engrenar numa fase mais alegre, positiva.

     Entretanto, em um pouco mais de duas horas de show, pode-se ver e ouvir as mil e uma faces de Drexler no palco. Com um repertório que ia de canções do ínício de sua carreira a uma homenagem a Zitarrosa.
Ele nos presentiou com canções como " Aquellos Tiempos", "Transporte", "Sea", " Se va, se va, se fue", "Mundo Abissal" e até mesmo uma canja de "Let it Be" dos Beatles.

     Porto Alegre mais uma vez foi presentiada com esse espetáculo. Dou graças por morar aqui, pensando que veio gente do nordeste só pra vê-lo. Mas pra isso não tem preço. Quem é fã atravessa o país para ver seu ídolo. Eu ainda bem que não precisei. De tantos problemas que esta grande província possui, a cultura é ainda um ponto favorável a nós. Não precisamos ir atrás do que gostamos, a cultura vem até nós. O Festival de Inverno é um projeto de suma importância para a cidade. Ótimas atrações a preços mais atrativos ainda. Ver Drexler a R$ 30,00 é até piada em comparação ao preço do mesmo show que ele realizou em Florianópolis, por exemplo, a mais de R$ 100,00.

Quando eu o abracei e falei ao seu ouvido após o show: "Gracias Drexler, por existir". E ele com um largo sorriso, me beijou e respondeu: "No, gracias por ti existir, linda." Essas duas frases se completam.

O artista não vive sem seus fãs.

Um povo não deve viver sem cultura.

E eu, óbvio, não consigo viver sem sua voz suave e suas letras profundas.

Não só eu, mas Porto Alegre, Madri, Montevídéu, Buenos Aires...agradecem por Drexler existir.

E Porto Alegre, esta pequena grande província ao sul do Brasil, me deixa a cada dia mais nostalgica culturalmente. Deve ser por causa de seu frio...da não presença de seus cinemas de rua...do seu vazio cultural nas segundas-feiras. O show de Drexler me deixou assim..."Ir por ahí como en un film de éric rohmer...Sin esperar que algo pase".


quarta-feira, 14 de julho de 2010


Não diga tudo o que sabes
Não faças tudo o que podes
Não acredite em tudo que ouves
Não gaste tudo o que tens

Porque:

Quem diz tudo o que sabe,
Quem faz tudo o que pode,
Quem acredita em tudo o que ouve,
Quem gasta tudo o que tem;

Muitas vezes diz o que não convém,
Faz o que não deve,
Julga o que não vê,
Gasta o que não pode.


Proverbio arábe




A música para os povos

Distintas escavações arqueológicas foram descobertas nas quais foram mostram pinturas, gravuras e esculturas que apresentam imagens de músicos, instrumentos e dançarinos. Em 3000 a.C. no continente asiático a música se desenvolveu com expressividade na cultura da civilização chinesa. Os chineses nesta época viam a música como algo mágico, celestial. Na pré-história o ser humano produzia uma forma de música que lhe era essencial, uma vez que era na arte que o ser humano encontrava campo fértil para projetar seus desejos, medos, e outras percepções que fugiam de sua razão.

As primeiras civilizações surgiram na região do Oriente Médio, ou mais especificamente na Mesopotâmia. Não é muito o que se conhece a respeito da música dos povos que viveram na região.


Existem pinturas com cenas de músicos tocando harpa. Há relatos de Heródoto sobre a música de povos como os assírios – para este povo a música exercia papel importante nos ritos e em festejos, por exemplo.

Pode-se ver que por meio da pintura diversos instrumentos eram usados por esses povos, já divididos entre instrumentos de sopro, corda e também percussão, entre eles: flautas, tambores, lira, harpa e a cítara.

O povo sumério influenciou culturas como a babilônica e a judaica, por exemplo, que mais tarde se instalariam naquela região da Mesopotâmia. Houve um povo também, que deixou um legado de sua cultura musical: os assírios. Estes retrararam em pinturas e esculturas a música e seus instrumentos, uma vez que a música era associada ao poder, havendo um certo reverenciamento aos músicos da época, até porque, quando algum povo era conquistado os músicos eram levados para Assíria para que sua sapiencia sobre a música pudesse ser aprendida pelos assírios.

Já a cultura egípcia, por entre o ano 4.000 a.C., alcançou um nível elevado no que diz respeito a música, já que a agricultura era extremamente importante ao povo. Os egípcios tinham por costume louvar aos seus deuses em cerimônias religiosas, para agradecer a boa colheita, em grandes festas, cujas pinturas retratam pessoas cantando, dançando, tocando harpas, instrumentos de percussão e flautas. No Egito, diz-se que poder militar usava instrumentos musicais nas comemorações.

Os hebreus também faziam música, conforme relatos. Na Bíblia Sagrada, há letras de canções e cânticos hebraicos, como os Salmos, alguns instrumentos musicais são referidos em diversos versos, como a harpa. A música para este povo era muito em consagração a Deus.

Para o filósofo e matemático Pitágoras, a Música e a Matemática que vivem em harmonia, teriam a capacidade de possuírem os mistérios do mundo. Isto quer dizer, o universo era uma grande filarmônica (acredita-se que por isso que a música e a dança possuíam um papel importante nos cultos religiosos feitos aos deuses do Olimpo) predominando liras e instrumentos de sopro como a flauta. Reproduzindo teorias e técnicas musicais da civilização grega, os romanos também possuíam uma efervescente cultura musical, como a composição de letras enaltecendo seu poderio militar, utilizando instrumentos de percussão, como tambores e pratos. São os inventores da tuba, instrumento de sopro. Havia na Grécia festivais de música e dança em homenagem a Apolo e Dionísio. Os gregos consideravam a música como a arte mais importante para educar as pessoas. A música esteve presente nas cerimônias religiosas, nas manifestações de massa, poesia e teatro. Assim a música era parte integrante da formação humana e de seu caráter. Eles acreditavam que cada melodia e instrumento poderia influenciar a formação do caráter.

A Idade Média, a dita “Idade das Trevas”, foi marcada por um forte caráter religioso, sendo a igreja católica o epicentro das doutrinas ideológicas no âmbito cultural, social e político. Desta maneira até mesmo na produção musical, a Igreja ditada às regras. Aqui o canto gregoriano torna-se famoso. O canto gregoriano foi criado antes do nascimento de Jesus Cristo, pois ele era cantado nas sinagogas e países do Oriente Médio. Por volta do século IX desenvolve-se o chamado “Organum”.
No século XIV, o renascimento surge com fervor. Com o humanismo; o cientificismo, a valorização da cultura greco-romana em voga, a música deveria ser universal, conforme pensavam os compositores da época. Havia um encantamento pela sonoridade polifônica, pela possibilidade de variação melódica. Instrumentos são inventados como a flauta doce, o cravo, a viola e o violino.

Foram encontrados em diversos sítios arqueológicos desenhos de pessoas dançando em volta de tambores. Muitos objetos musicais também foram encontrados como toras de árvore fossilizadas, possivelmente usadas como tambores primitivos, e diversas versões de litofones, rochas de diversos tamanhos que eram dispostas sobre um tronco ou buraco no chão, usadas para produzir música melódica por percussão.

SISTRO

Produzido geralmente em bronze e madeira, por volta de 2.500 antes de Cristo o sistro já era tocado em terras súmerias, é uma espécie de chocalho. O instrumento já existia na Suméria do ano 2500 a.C. Seu formato mais comum era a de um cabo com um arco, onde se colocavam pequenas barras com discos de metal que quando agitadas produziam o som. No Egito dos tempos faraônicos quem o tocava eram mulheres nobres e sacerdotizas em rituais a deusa Isis, por exemplo. Foi um instrumento comum, também, aos romanos, quando tiveram contato com os egípcios. Na tumba do faraó Tutankhamon, foram encontrados diferentes Sistros, compostos por címbalos de bronze bastante rústicos.

LIRA

Várias são as histórias a respeito da origem deste instrumento musical, a lira. Há uma lenda que conta que Apolo caminhava por uma praia, quando deu com o pé no casco de uma tartaruga que estava com as tripas secas e esticadas. Apolo percebeu, então, que fazendo vibrar as tripas, produzia-se som, originando assim a lira grega. Já na segunda lenda relata que Apolo amarrou algumas cordas de tripa aos chifres de um boi e, desta forma, deu origem à lira. E a última história trata de um dia de caça de Apolo com sua irmã Diana: ele notou que toda vez que sua irmã atirava com seu arco, a flecha ao ser solta, produzia sons. Desta maneira, o Deus Apolo pensou em fazer um instrumento de corda. Seu filho, Orfeu que era o Deus da Música, conforme a mitologia grega, ao tocar sua lira, conseguia encantar até mesmo os animais.
Há outro relato de sua invenção, atribuído ao Deus Hermes. Foi um instrumento que teve grande apreço entre os gregos na antiguidade. Era feita de uma placa de som – feita de casco de tartaruga), à qual era presa por parafusos (feitos de madeira ou osso de chifre) e cordas que corriam sobre de uma ponta a outra da base da caixa. O estudioso Jose Castejón fala que há certa dificuldade em interpretar ou traduzir textos e vocabulários utilizados por diferentes autores no que diz respeito ao nome dado aos instrumentos musicais, já que muitas vezes acontece que, para designar um único instrumento, os escritores utilizam termos diferentes. O exemplo que Catejón nos dá é do nome da lira no Hino Homérico a Hermes IV: Homero usa três formas para se referir a lira: Fórminx, Chelys e lyra.

VIOLÃO

O violão é um instrumento derivado do alaúde árabe, levado pelos mulçumanos para a península Ibérica e adaptando-se muito bem as atividades da corte. Placas de barro com figuras seminuas tocando um instrumento muito semelhante ao violão contemporâneo (1900-1800 a.C), na antiga Babilônia. Se difundiu por países, como a Espanha e Portugal com a invasão moura na região e até hoje faz parte do que se chama de música espanhola, como sendo o principal acompanhamento da dança flamenca e da música portuguesa com seu triste fado.

CÍTARA

Originário da Assíria. Este foi o instrumento mais utilizado pelos músicos da China. A cítara é um instrumento que possui uma série de cordas esticadas dentro ou sobre uma caixa de ressonância feita quase que exclusivamente de madeira. Existem versões que só têm cordas livres, e versões em que algumas cordas estão esticadas sobre uma manga com trastos. Como vários outros instrumentos de corda, existe em versões acústicas e eléctricas.

HARPA

De origem suméria, este, talvez, seja um dos instrumentos mais retratados em pinturas achadas por arqueólogos. No túmulo de uma das rainhas deste povo, Schab-ad, achou-se um instrumento parecido com uma harpa, datado de 3000 a.C. As harpas são diferentes da lira e cítara devido ao seu formato triangular e
pelo comprimento desigual das cordas.

FLAUTA

Nascida há milhares de anos, ainda na pré-história, a flauta pode ser considerada um dos instrumentos mais lindos de se ouvir, com seu som doce e apaixonado. Há escavações que encontraram flautas, no tempo do homem de Neandertal, feitas de ossos. A flauta foi usada por músicos nos tempos áureos do antigo Egito e também, por hebreus, como relatado na Bíblia. Sendo esta tocada em inúmeras ocasiões, como a maioria dos instrumentos.
No renascimento, feita de madeira, a flauta doce era tocada, principalmente sozinha, assinalada por ser fina e cilíndrica, alcançou seu clímax em metade do século XVI. Séculos após, a flauta doce foi sendo perdendo espaço para a flauta transversal, devido a sua maior sonoridade e possuir um timbre mais significativo.

VIOLINO

Com uma sonoridade inconfundível este instrumento se tornou quase que imprescindível nas orquestras. O violino surgiu no final do século XVI na Europa, tendo sua fabricação na Itália – três famílias dominavam a “arte” de fabricá-lo: Stradivarius, Amati e a família Guarneri. Apesar de que tenha se conservado quase que o mesmo por décadas, no século XIX passou a possuir, anteriormente o arco tinha uma forma côncava, sofreu uma mudança que o tornou convexa. Até hoje, o violino está entre os instrumentos favoritos.

Cada som tocado em uma música tem seu timbre característico, cada nota tocada tem sua particularidade. Definido da forma mais singela o timbre é a identidade sonora de uma voz ou instrumento musical. Já se sabe que para o homem na pré-história a música possuia um caráter religioso, mágico, ritualístico, sendo feita em agradecimento aos deuses ou buscando sua proteção para a caça ou para guerra. No mesmo período os homens passaram a bater na madeira, produzindo um som ritmado, surgindo assim o primeiro instrumento de percussão. A música sempre esteve presente na história da humanidade. Sofreu inúmeras transformações até hoje, atravessou terras, mares, se misturou a novos ritmos, instrumentos foram aperceiçoados, porém, a música nunca deixou e deixará de ser a “musa das artes”.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

O retorno


Há dois anos atrás tive a oportunidade de ve-lo pela primeira vez. Inesquecível...Obvio!
Agora, mais uma vez no inverno, ele retorna a capital mais ao sul do país para (en)cantar. Sim!
He's back! Oh my God! ( momento fã ).



Lançou em 2010 um trabalho totalmente distinto do que havia sendo feito há anos, ou pelo menos em seus três últimos CD's: Amar la Trama.

Mi cantautor favorito retorna ao sul para deliciar nossos ouvidos com sua melódica voz.
Entonces, Jorge Drexler em Porto Alegre!
Enfim dois anos de espera e ele está de volta!

Gracias Jorgito

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O Ser que se acha Superior

"O homem superior é impassível por natureza: pouco se lhe dá que o elogiem ou censurem - ele não ouve senão a voz da própria consciência."
 Napoleão Bonaparte




Napoleão nunca esteve tão certo entre todas as suas frases.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Cinema e suas curiosidades...



A fundação de Hollywood é datada em 1877, seu nome deriva da fazenda da família Wilcox, que habitava a região.

Atlanta e Eletric Theatre são os dois primeiros cinemas do mundo datados de 1895 e 1902, respectivamente (EUA).

300.000 é o número de figurantes de Gandhi de Richard Attenborough. A maior figuração da história.

O filme mais assistido do mundo é E o vento levou... de Victor Fleming (120 milhões de pessoas).

O filme que teve mais beijos do cinema foi Don Juan de Alan Crosland, em 1926.

 Fidel Castro tentou ser ator nos EUA. Interpretou interpretar pequenos papéis em três musicais: "Escola de sereias", "Bathing beauty" e "holiday in México".

Coppola começou sua carreria fazendo filmes eróticos.

358 vezes é o número em que Paula Maxa foi assassinada no cinema.
 
 Fritz Lang recrutou para Metropolis 15.000 alopécicos para a cena do sacrifício ao deus Moloch, o deus sem escrúpulos do capitalismo.
 
Al Capone foi ao cinema ver Scarface de Howard Hawks várias vezes, filme baseado em sua vida.
 
O filme mais caro da história é a versão russa de Guerra e Paz de 1968 e dirigida por Sergei Bondarchuck.

Neruda




Pablo Neruda (1904-1973)


Tira-me o pão, se quiseres,


tira-me o ar, mas não

me tires o teu riso.



Não me tires a rosa,

a lança que desfolhas,

a água que de súbito

brota da tua alegria,

a repentina onda

de prata que em ti nasce.



A minha luta é dura e regresso

com os olhos cansados

às vezes por ver

que a terra não muda,

mas ao entrar teu riso

sobe ao céu a procurar-me

e abre-me todas

as portas da vida.



Meu amor, nos momentos

mais escuros solta

o teu riso e se de súbito

vires que o meu sangue mancha

as pedras da rua,

ri, porque o teu riso

será para as minhas mãos

como uma espada fresca.



À beira do mar, no outono,

teu riso deve erguer

sua cascata de espuma,

e na primavera , amor,

quero teu riso como

a flor que esperava,

a flor azul, a rosa

da minha pátria sonora.



Ri-te da noite,

do dia, da lua,

ri-te das ruas

tortas da ilha,

ri-te deste grosseiro

rapaz que te ama,

mas quando abro

os olhos e os fecho,

quando meus passos vão,

quando voltam meus passos,

nega-me o pão, o ar,

a luz, a primavera,

mas nunca o teu riso,

porque então morreria.

segunda-feira, 15 de março de 2010

O Segredo de Campanella

 

    Fazia algum tempo em que um filme não mexia tanto comigo. Talvez a última vez que isso aconteceu foi quando assisti a "Ensaio Sobre a Cegueira" do Fernando Meirelles. Este filme é "O Segredo dos Teus Olhos" filme dirigido por Juan José Campanella, mesmo diretor do ótimo "O Filho da Noiva" (2001). A película que acaba de ganhar o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, desbancando obras como "A Fita Branca" de Michael Haneke, consolida o Cinema Argentino como um dos mais expressivos da atualidade.

    Muitos são os adjetivos que podem ser utilizados para expressar o que nos é mostrado em pouco mais de 120 minutos de filme. Um roteiro magnífico, custurado de forma ímpar. Com grandes interpretações como a personagem de Villamil (que mais parece uma homenagem as divas do cinema dos anos 50), o papel de alcoolatra de Guillermo Francella. E, principalemente Ricardo Darín, que a cada cena dá um show de interpretação. Uma das grandes interpretações do cinema dos últimos tempos. São poucos os atores que conseguem fazer o espectador sentir o que seus personagens estão querendo transmitir naquele momento e Darín faz isso majestosamente a cada close que lhe é dado. Através de seus olhos podemos ver a alma de seu personagem.

     O "Segredo dos Teus Olhos" é um ótimo exemplo de que o cinema ainda tem muito o que contar. É um filme que não abusa de nada. Tudo é na medida certa. Sem apelação. E o melhor de tudo: sem nenhum beijo na boca!

     Vida longa a Campanella e ao cinema argentino!


O Segredo dos Seus Olhos (El Secreto de Sus Ojos)
Direção: Juan José Campanella
Elenco: Ricardo Darín, Soledad Villamil, Pablo Rago, Javier Godino e Guillermo Francella
Gênero: Suspense/Policial/Drama

sexta-feira, 5 de março de 2010



"O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho."

Orson Welles - cineasta norte-americano


quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

"A vida é uma tragédia quando vista de perto, mas uma comédia quando vista de longe."

Charles Chaplin


quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010



"Vícios são desperdícios de vida"

                                                                                                                                                           George Bernard Shaw*




* Escritor Irlandês (1856-1950). Escreveu obras como "A profissão da sra. Warren" (1902) e "Pigmalião" (1913), esta sendo a mais popular de sua carreira, e que, em 1964, deu origem ao filme "My fair Lady". Ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1925.

Quanto vale o teu diploma?

Janeiro de 2005, um verão escaldante no paralelo 30° e recebo uma das notícias mais esperadas de toda a minha vida: passei na UFRGS!!!
 Todo o esforço, não que tenha sido muito, mas foi um esforço considerável, estava ali, diante dos meus olhos, quando me deparei com o meu nome na tela do computador junto a tantos outros. Um ano antes, não sabia p'ra que faria vestibular. Com todo meu amor por cinema, pensei em fazer publicidade, porém, sabia que o mercado publicitário estava saturado. Pensei em geografia, por ser a matéria que mais gostava na Escola, mas não...Meu pai queria que eu fosse médica. Eu nunca poderia ser médica. NUNCA! Um dia lendo um livro de profissões, me deparei com uma que me chamou muito a atenção: Ciências Sociais. Eu, como sempre tive um lado meio revolucionário desde pequena, achei aquela profissão muito interessante. Decidi prestar vestibular para Ciências Sociais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e na PUCRS, passei na PUCRS, em 3° lugar. Mas quando vi o preço da matrícula e das mensalidades e que aquela quantia deveria ser paga mensalmente, eu decidi passar na UFRGS. E passei! Quando se tem 19 anos não se sabe muito bem das coisas, tudo acaba sendo novo. Eu havia saído de um Colégio Público, com um ensino medíocre e não tinha condições de passar na Federal sem ter de prestar um cursinho. Bem, devo ter deixado uns 2.500 reais no cursinho em um ano de estudo. Entretanto, valeu a pena. Porque eu pensei: " Poxa, eu estudei a minha vida toda em Colégio Público e agora que quero fazer uma faculdade terei de pagar? Não". E foi assim que eu cheguei na UFRGS, uma das melhores Universidades do Brasil.
Encantada com o curso que passei. Meu objetivo era mudar o mundo. Que idealista! Mudar o mundo...
Pois bem, o tempo foi passando, meu modo de visão de mundo foi mudando, eu já não era mais aquela menininha de 19 anos idealista e metida a revolucionária. Toda vez que me perguntavam o que faria sempre vinha a pergunta: "Que legal" Mas dá dinheiro?". Minha resposta sempre foi a mesma:" Qualquer profissão pode dar ou não dinheiro, depende do bom profissional que você é". O tempo passou, me especializei na área de que eu queria, estudei inglês, espanhol, francês, trabalhei manhã, tarde, noite, fim de semana, Natal, Ano Novo, mas sempre com a ideia na cabeça de que todo o esforço que fazemos em nossa vida, um dia iremos colher bons frutos.
Cinco anos se passaram, e num dia de verão escaldante no paralelo 30° me formei na UFRGS. A menininha de 19 anos que outrora tinha visto seu nome numa lista de aprovados no vestibular, era outra. Outro pensamento, outros ideiais. Em cinco anos estudei Marx, Weber, Maquiavel, Foucault, Montesquieu, Hobbes, Niestzsche, Bourdieu, Levi-Strauss, Mills, Mauss, Ianni, Faoro...Desigualdade, Sociedade, Corpo, Xamanismo, Política, Formas de Governo, Identidade, Desemprego. O Desemprego. Este último é o objetivo deste texto. Hoje, como Cientista Social escrevo sobre este mal que assola milhares de recém formados em todo o Brasil.
Estive procurando sobre dados de desemprego no Brasil e o resultado é apavorante. No país, mais ou menos 10 % da população tem nível superior completo. Destes 10%, quase metade trabalha em atividades que estão abaixo de sua qualificação, como Atendente de Telemarketing, Secretária e Recepcionista. O mercado exige profissionais qualificados, mas por esta qualificação pagam uma miséria. Exigem experiência sem dar oportunidade para o aprendizado.
Quantos de nós não conhecemos pessoas que são formadas e não trabalham em sua área? Quantos de nossos conhecidos fizeram licenciatura com o sonho de dar aula e ajudar a mudar a realidade do Brasil e estão desempregados? Os concursos públicos são quase uma arena de gladiadores. Dezenas lutando por uma vaga, ou melhor, por estabilidade e um salário digno. Nosso esforço e nosso capital cultural e intelectual estão sendo desvalorizados por um mercado cada vez mais selvagem.
A vida é irônica, saímos de uma estatística de 10 % de brasilerios com curso superior para entrar em outra: a de 12, 6% de desempregados (F: Folha de SP 24/02/10).
Minha concepção de mundo aos 25 anos é totalmente diferente da visão de quando tinha 19. Talvez seja a idade...Conforme os anos vão passando, ficamos cada vez mais descrentes...
O erro não está em nós. O erro está na Estrutura que não nos dá alicerce para que possamos aplicar nossos conhecimentos adquiridos na Universidade de forma correta. Mas também, não se pensa de forma certa na formação básica, imagina na formação de novos profissionais. Um povo sem educação é um povo sem opinião. Nosso país cresce a cada ano, isso é inegável. Mas o Brasil não precisa somente dar emprego a pedreiros, metalúrgicos, garis. Precisa de também sociólogos, professores, engenheiros empregados e ganhando um salário digno de seu esforço intelectual. Caso contrário, o diploma só servirá para por em uma parede e continuaremos a ser o país do futebol, do carnaval e do turismo sexual, não?!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Você conhece Helen Folasade Adu?


Nascida no dia 16 de janeiro de 1956, esta capricorniana acaba de voltar ao topo das paradas dos albuns mais vendidos nos Estados Unidos com o disco "Soldier of love". Sua voz e sua musicalidade embalam e encantam fãs do mundo todo.Uma volta à mídia relutante para uma das cantoras mais expressivas da década de 90.
Dez anos distante dos palcos, a cantora aceitou o convite de voltar a gravar." Na verdade, a falta de “compromisso” com o showbizz e de expectativa só contribuiu, e o álbum transparece o cuidado e a calma com que foi feito. Soldier of love não tem nenhuma Smooth operator ou No ordinary love, mas é um disco consistente recheado de belas e calmas canções (de amor, quase sempre)".
Esta é Helen Folasade Adu. Ou mais conhecida como SADE!

É bom lembrar que os outros discos dela, Diamond Life (1984), Promise (1985), Stronger Than Pride (1988), Love Deluxe (1992) e Lovers Rock (2000) conseguiram ficar no topo das vendas quando foram lançados.



Esta vai pro meu amigo Felipe, baita fã da Sade!


"Parece-me fácil viver sem ódio, coisa que nunca senti, mas viver sem amor acho impossível".

Jorge Luis Borges

Jorge Drexler lancará seu novo CD em março!


Ele está de volta!
Depois de "CARA B", lançado há dois anos atrás, no qual Dexler trazia todo seu talento em um trabalho ao vivo, o uruguaio residente na Espanha lançará no mês de março: "Amar la trama". "Trama" foi gravado em um estúdio de televisão, ao invés de um estúdio convencional, a cara de JD. Para dar um toque, havia plateia na gravação! O que dá um toque ainda mais inovador no novo cd de Drexler, visto que sua emoção é visível frente a uma plateia.

Como ele próprio disse: "Procurava algo mais luminoso, quente, orgânico e vivo. Queria algo mais real, apesar de saber que a verdade não é um monopólio da naturalidade – filosofa. – Eu sigo golpeando e arriscando, mas quando eu sinto que já transitei demais por um estética decido mudar. Quando ouvi pela primeira vez fiquei em pânico, porque no computador eu edito, limpo e acerto cada detalhe. Numa sala, os microfones captam a ressonância dos outros instrumentos. Apesar dos erros, queria realmente largar o laboratório e o microscópio. E acabou sendo ótimo".
A previsão é que seja lançado no dia 16 de março, CD mais DVD!
A ansiosidade me domina!

Dê uma olhadinha aí:
http://www.elpais.com/videos/cultura/regreso/Drexler/elpepucul/20100204elpepucul_1/Ves/